Polónia!

Tenho andado tão mas tão envolvida, que se torna difícil escrever sobre todas estas coisas maravilhosas que me vão acontecendo. Deixo aqui u...

Tenho andado tão mas tão envolvida, que se torna difícil escrever sobre todas estas coisas maravilhosas que me vão acontecendo. Deixo aqui uma "breve" descrição de lembranças deste país de leste:

AWFis, a universidade sem wifi

"One little girl came here to ask about you", and this is the way that they look for me :p


Beginning: "Why do I need to make a student card?
Currently: "Yes, yes, I love you student card" *.* (51% discount on train tickets and lots of other discounts, such as zoo and atractions tickets)


Describe Poland in 3 sentences:
- everything is possible
- nobody knows anything
- crazy transport system






Aprendi que na Polónia....
-a fruta tropical é vendida à unidade e a restante ao kg (consequentemente, aprendi que alguém que não souber disso, vai achar q a fruta tropical está baratíssima, pergunta-se porquê e acaba por gastar fortunas em fruta -.-')
- o leite não é vendido à palete mas sim individualmente, e os cereais vêm em sacos e não em caixas
- quando o nascer do sol é mais cedo, o pôr do sol é mais tarde
- muitas passadeiras foram apagadas e não voltaram a ser pintadas. Para além disso, não existe nessas zonas sinalização de passadeira. Não é preciso, não é, as pessoas já sabem que aquilo ali é uma passadeira!
- a mulher é a única que usa anel de noivado (com um diamante ou algo semelhante nele), e apenas no casamento usam os dois anel (espalmado e prateado), ficand
o a mulher com dois anéis na mão
- o atum de conserva não é o peixe mais barato e custa muito mais do que em Portugal, mas a diferença dele para o salmão é mínima -.-' (cmon, aqui o salmão em conversa é tão barato quanto os outros peixes!)
- qualquer pessoa que venha do exterior e entre numa loja em saldos na Polónia (seja de utilizador de euro, dólar...), especialmente se for do sexo feminino, pode ter um ataque cardíaco ou sintoma de gritaria, devido ao baixo preço colocado sobre as peças de vestimenta :p
- as casas são todas rústicas, com madeirinha ou em formado de "castelo", todas bem trabalhadas e cuidadas (o que me faz pensar nas casas portuguesas como caixotes habitáveis -.-)
- no Inverno, o sol pode-se pôr entre as 15 e as 16h
- tentar falar em inglês com uma pessoa idosa, funcionárias ou senhoras de caixa de supermercado é suicídio
- a cidade de Gdansk tem uma melodia para os piões passarem na passadeira, que só existe (em todo o país) nessa mesma cidade
- não existem bolachas de água e sal, tudo que existe são umas cenas retangulares estranhas feitas de cereais, chamadas pieczywo chrupkie lekkie (crispbread, em inglês)
- os comerciantes dão sempre preferência pelo pequeno: aqui tudo que é vendido em grande, tem também a opção de pequeno: caixas de fósforos minis a 0,5€, champôs e gel de banho portáteis, caixas de cereais pouco cheias e pacotes de bolachas minis
- quase todas as letras têm de ter cedilhas, traços no meio delas, acentos em cima e dos lados, e outras cenas esquisitas, e a forma como eu leio as coisas definitivamente não é nada semelhante à forma como eles dizem
- temos sempre de andar equipados com sacos quando vamos hás compras, porque raramente eles são oferta
- podes com facilidade realizar os teus desejos alimentícios de comida orientar, e não te precisas de preocupar muito com cozinhar, o mercado já tem tudo feito para ti!
- tens nos supermercados uma plateleira enorme cheia de todo o tipo de especiarias ao teu dispor, mas tudo o que vez são saquetinhas, nada de embalagens com buraquinhos para facilitar a vida
- há três taxas de IVA diferentes: eles classificam os produtos em três categorias
               A) produtos não alimentares, 23% IVA
               B) fruta, especiarias e outros produtos alimentares, 8% IVA
               C) massa, arroz, carne/peixe e outros produtos alimentares essenciais, 5% IVA
- há apenas cerca de 100/200 desbravadores em todo o país, e são raras as igrejas que têm clubes. Porquê? falta de formação para dirigentes, inexistência de acampamentos como os nossos, inexistência de atividades para jovens para lá dos desbravadores e outros problemas
- o mesmo dia pode ter imensas condições meteorológicas diferentes: pode estar sol durante 5min, depois ele ficar tapado e começar o vento, alguns minutos depois vem chuva, daí a uma hora vem neve durante meia hora, e depois volta a haver chuva ou não volta a haver nada. Desta forma, não vale a pena nos guiarmos pelas previsões meteorológicas, a não ser que coloquemos como opção "previsão em minutos"
- é possível, depois de disfrutar de um bom iogurte de manga, aperceber-se que na tampa diz "25% de fruta", e do lado tem instruções em português
- o sinal verde dos piões e dos automóveis pode ficar verde ao mesmo tempo, é que nem tem problema nem nada -.-
- as pessoas de museus e outros locais (supostamente) turísticos não sabem falar inglês
- "Daniela" quer dizer Daniel, e se eles tivessem feminino para o nome, seria Danieli -.- (no entanto já houve quem dissesse que isso não acontece - acho que nem polacos percebem a lingua deles :o)
- os restaurantes vegetarianos são os mais baratos. Lá, as refeições podem rondar os 3 euros facilmente
- o Supermercado mais barato chama-se biedronka, que quer dizer "joaninha", e o dono do supermercado é português (Jerónimo Martins). E é claro, isso deve explicar o meu sucedido com o iogurte com instruções portuguesas xD Só sei que ele tem um grande negócio por estas bandas, e ele deve estar riquíssimo à custa dos nossos queridos polacos ^^
- é possível comprar uma saia por 25 cêntimos
- a cozinha tradicional é feita à base de batatas, um monte de batatas e nada de vegetais. Geralmente, é feita à base de fritos, pelo que é muito gordurosa e muito pouco saudável
- água é mais cara, e o sumo consegue ser mais barato
- os carros deles têm as iniciais das cidades onde eles moram
- o Inverno é passado com imensa neve, e pode-se esperar meses inteiros com graus negativos
- as diferenças de dias entre o Verão e Inverno são incríveis: no Inverno o dia termina às 15h, e no Verão às 22h O.o
- é ilegal fumar em público (por exemplo, é proibido em paragens de transportes públicos), para manter a saúde dos restantes à nossa volta, e essencialmente para evitar dar maus exemplos e incentivo aos mais jovens
- é ilegal passar nas passadeiras com sinal vermelho, e por isso é bem normal ver as pessoas paradas, ainda que não passe nenhum carro, com receio de serem apanhadas
- é o paraíso do chá: aqui encontra-se de todos os tipos, maravilhosos e baratos. Digam adeus ao chá de cidreira e camomila! Ahahahah
- é perfeitamente normal servirem chás em hospitais, serviços públicos, casas de tratamentos de beleza ou físicos, e outro tipo de locais estranhos. Para além disso, é completamente normal vermos gente como professores, médicos, secretários, empregados de caixa e outro tipo de pessoas a beber chá no trabalho.
- eles têm sérios problemas no que diz respeito à velocidade dos comboios, mas em contrapartida têm comboio para quase todo o lado *.*
- é melhor haver uma previa preparação mental, porque nas estações de comboios as pessoas não falam inglês (ou falam mesmo o muito básico, quase nada). Elas não percebem, não fazem um esforço para compreender, esquecem-se que podem pedir a alguém para traduzir. Quando simplesmente começamos a falar em inglês, elas fazem caras de passadas e irritadas, tornam-se rudes e mal educadas. Este comportamento é normal de se assistir quando elas não percebem o que dizemos, mas também não dizem uma única palavra em inglês (eu pergunto-me: à quantos anos estas pessoas já andam a aturar turistas, e ainda não aprenderam nada?) É um comportamento que realmente me fez ficar passada por diversas vezes. Não é de surpreender se uma jovem atrás de um balcão a vender snaks e comidas falar contigo em inglês, e a mulher que vende bilhetes para sítios
turísticos como Auschwitz ou mesmo a que trabalha na capital fizer cara de arrogante e te mandar embora porque não te entende.
- é normal as senhoras nos bilhetes de comboio não saberem a hora exacta a que sai o comboio, e reencanbear-nos para o balcão de informações para pedir uma tabela com os horários e escolhermos o que queremos -.-
- 80% da população masculina chama-se Tomek (Tomasz)
 - viajar fica praticamente ao mesmo preço, por isso compensa imenso ir para mais longe, e viajar para perto acaba por ficar caro
- pão fresco e fofinho em supermercados (à excepção do Lidl), é muito difícil de encontrar
- eles lutam pelo ambiente, e têm aquilo que eu sempre sonhei desde pequena: pistas para bicicleta por todo o lado, e é tão normal ver gente (aqui é moda) de todas as idades a andar de patins, skates e bicicletas pasteleiras *-*
- os corvos vivem bem ao pé das pessoas, são idiotas, rabujentos e jogam às escondidas xD






Aprendi que os Polacos....
- são pessoas parecidas com os portugueses no que toca à cultura
- dão sempre prioridade às senhoras para entrar e aos mais velhos para se sentar em meios de transporte
- (supostamente) matam-se a estudar na época de exames
- casam cedo (ou será que foi só minha impressão? O.o)
- comem imenso peixe de conserva (que ainda por cima é super barato)
- têm as casas super quentes porque o seu aquecimento está ligado 24h, e ainda assim são capazes de dizer que está frio :o
- têm a mania de fazer saladas com couve ralada
- geralmente cozinham com sal refinado, porque o sal grosso é demasiado caro (expliquem-me porquê, definitivamente há alguma errada com este país: não é o sal grosso que é natural e o refinado que tem de passar por vários processos? então why? -.-')
- bebem imensos chás, e inclusive usam mel (estranho, um parece pedra e outro caramelo -.-) para adoçar, em vez de açucar
- são muito mais inteligentes do que os Portugueses. Querem saber porquê? Porque aqui as pessoas equipam-se, gorro, gola/cachecol, sapato alto e quente, casaco quentinho e impermeável. Desta forma não há frio nenhum. Os portugueses morrem de frio num país mais quente porque para eles equiparem-se todos é fora de moda, e já "parecemos o inverno" -.-
- acham que és de outro planeta quando lhe dizes que comes pão de forma como o outro pão (eles só usam aquele pão em tostas)
- vestem-de de fato e as polacas a rigor para irem aos exames da universidade (calma, era suposto eu ir bem vestida para um exame o qual só me deu que estudar? Não é a professora ou o visionador que se vai casar, pois não? :o)
- adventistas têm trimensários a preto e branco, muito pequeninos, e só

de um trimestre. Agora imagina o que acontece quando eles pegam num trimensário português cheio de cor, e ainda por cima com o tema das lições do próximo trimestre! :p
- fizeram um contrato com o Sol e disseram-lhe que não necessitavam mais dele porque eles têm as nuvens, a chuva e a neve, então o sol, intimidado, não costuma muito aparecer no país deles
- que perdem alguém muito importante para eles, ficam durante um ano inteiro de luto
- só costumam ter os horários deles cerca de 1 a 3 dias antes das aulas começarem
- não ligam nenhuma ao frio e vão correr à mesma (admiro-os imenso por isso)
- passam a vida a beber chá a ferver (admiro-os por isso também), e a primeira coisa que te perguntam quando vais a casa deles, é se queres algo quente para beber, e dizem-te o cardápio todo deles de chá (que acreditem em mim, é tudo menos reduzido xD)
- tomam banho todos os dias, porque isso é o normal
- têm um sistema de ensino definitivamente estranho: as aulas não começam todas no mesmo dia, cada disciplina é individual - algumas disciplinas podem começar semanas, ou até meses depois das aulas começarem, e algo como ter uma aula uma vez em duas semanas é algo normal para eles O.o
- bebem a toda a hora, e por isso é normal ver durante o dia gente bêbada em todo o lado
- cuidam muito bem da sua imagem, e talvez por isso seja um povo bonito: aqui os tratamentos de beleza não são caros, as mulheres pintam o cabelo com muita facilidade e isso não é considerado excêntrico (existe muita mulher com cabelo pintado de ruivo, loiro, vermelho, e inclusive cores chamativas como rosa e azul), pintam-se bem (sim, elas não só se pintam, elas sabem se pintar bem) - hás vezes até parecem bonecas ou coisa do género, e usam monte de base O.o
- estudantes são as pessoas mais sortudas do país inteiro: eles têm desconto em cafés, cinema, zoos, tratamentos de beleza, transportes, restaurantes, e tudo quanto é sítio e instituição de lazer e diversão. E sabem o que é que eles precisam para ter desconto? Cartão de estudante. TOP!
- preferem escrever em cadernos quadriculados do que em folhas com linhas, e os cadernos deles com linhas têm a parte maior sem linhas no fim, e não no início
- têm super dificuldade em dizer "three" e "with", então praticamente todos eles dizem "wif". Para além disso, a maioria deles pergunta-me "how do you like poland?", e eu penso para mim mesma "what do you mean? with mustard or ketchup?" ahahahaha No início perguntava sempre o que eles queriam dizer, agora simplesmente respondo sem sequer os corrigir, é erro geral pelos vistos O.o  (este erro vê-se até mesmo em pessoas que falam bem inglês!)
- usam termómetros do lado de fora das casas para ver a temperatura. Normalmente têm termómetros nas janelas
- usam aquilo que eles chamam de meteorologia numérica, com variações de temperatura e clima ao longo de dia, porque para eles é impossível saber o que vai acontecer só com uma imagenzinha como em Portugal. Eles vêm as horas em que é mais quente e mais frio, para assim se poderem preparar. Ainda assim, nas montanhas é completamente impossível prever o clima, e ele pode mudar completamente em apenas segundos
- embora pareçam mais retrógrados do que nós, usam algo que eu nunca tinha visto na minha vida. Não sei como chamar aquilo, mas basicamente é um quadrado com um código inscrito, que me faz lembrar um pouco os códigos de barras. Esses quadrados são impressos, e os smartphones têm um programa próprio para fotografar esse código, e automaticamente após fotografá-lo, eles abrem o link a que corresponde. Há um site próprio na internet onde eles colam o link que desejam partilhar, e ele automaticamente cria esse quadradinho para ser impresso. É extremamente útil, porque dessa forma pode-se colocar junto de cartazes, livros, agendas e outras coisas informação relativa a um link da internet, sem ter de o escrever por extenso. As máquinas usadas pelos revisores nos transportes públicos estão aptas a ler esses códigos. Dessa forma, o utente pode comprar o bilhete via on-line, e só tem de mostrar ao revisor o quadradinho presente num papel ou no seu telemóvel. Incrível, não é? Mas ainda há quem vá mais longe: algumas empresas optam pela criatividade, e colocam um cartaz ou um anúncio "suspeito", sem dar muita informação sobre o seu conteúdo, colocando em grandes dimensões estes códigos, despertando a atenção das pessoas para fotografarem o quadro e serem redireccionadas para o site. Os polacos acreditam que isso já se espalhou por todo o mundo, e ficam sempre incrivelmente espantadas quando digo que nunca tinha visto isso. Para mim, esta foi uma das mais fantásticas descobertas que já tive aqui na Polónia. (de lado está um quadradinho de exemplo)
- ainda carregam sobre eles más recordações do comunismo, que se estabeleceu a  1989, e do massacre da guerra e mortes conduzidas pelos alemães
- conduzem super, super rápido
- dizem sempre olá (dzień dobry) e adeus (do widzenia) de maneira formal quando entram em locais públicos: lojas, serviços públicos, cabines de comboio, etc.
- lêem imenso. Aqui, contrariamente em Portugal, é normal as pessoas gostarem de ler. Quase todos eles andam nos elétricos, autocarros ou comboios com livros ou jornais para ler. Até estantes com livros em segunda mão à venda se encontram à entrada de estações de comboio!
- comem esparguete com uma colher 
- que entregam panfletos de restaurantes na rua ficam chateados se não aceitares, ao ponto de poderem correr atrás de ti para te dar o folheto até aceitares  
- tomam banho todos os dias e muitas vezes nem secam o cabelo, e vão dormir assim O.o 
- compram muitas vezes água com gás como se fosse água normal, e bebem aquela água apenas (claro que nem toda a gente, mas é normal)





Na Polónia aprendi...
- que uma vez perdida, deve-se perguntar a mais do que uma pessoa (se preferível 3) qual o caminho que queremos apanhar
- que quando acharmos algo demasiado barato num país em que deveria ser caro, devemos sempre duvidar do preço!
- que não devo pensar como penso em Portugal: nem em todos os países tu podes andar para todo o lado a pé, e nem todas as cidades têm de ter freguesias que parecem aldeias!
- que o sistema de desbravadores de Portugal é um dos melhores que há no mundo, e que definitivamente não devemos ter muito que nos queixar! *.*
- que não há nada melhor para alegrar o teu dia, do que ouvires um estrangeiro a tentar falar a tua língua: os polacos lêem bem português, e é querido porque é diferente, mas não falam mal (já eu a ler polaco....)
- que é mais fácil prever o fim do mundo do que as condições meteorológicas da Polónia
- que os suecos chamam os gatos não com "bche bche", mas com "cze cze"
- que os filhos mais novos são mais bonitos, e os mais velhos inteligentes (de acordo com estudos feitos)
- que, definitivamente, só posso fazer snowboard em estâncias com teleféricos! desisto dos saca-rabos! -.-
- que a palavra "dinner" pode ser usada para almoço ou para jantar, depende da refeição que as pessoas consideram como principal e, dessa forma, entendo porque é que aqui na Polónia todos chamam ao almoço de "dinner". Porque é que és tão controverso às vezes, inglês? Explica-me :o
-  que os gregos levantam as sobrancelhas uma vez para dizer "não"
- que o verdadeiro frio tem o potente poder de deixar o meu cabelo elétrico todos os dias





Na Polónia, pela primeira vez...
- andei de avião!
- comi ramen!
- cozinhei com sal refinado!
- cozinhei num fogão que, embora tenha o símbolo para colocar o lume no mínimo, só tem máximo!
- vi freguesias que tinham museus, zoos e outro tipo de grandes edifícios, como se fosse o centro da cidade
- mexi em outro sistema monetário que não o euro e escuto (zlote e groszy)
- usei internet através de um cabo de net
- senti-me uma verdadeira turista com máquina fotográfia, guia turistico e mapa das redondezas
- patinei no gelo!
- tentei lavar a loiça com óleo de fritar a pensar que era detergente de loiça
- parti um coco e (tentei) comi parte dele - acabou por se tornar num recipiente para as minhas canetas
- fui às aulas apenas alguns dias depois de elas começarem
- comi queijo fresco avinagrado
- cozinhei massas e sopas pré-feitas
- fui a um cinema para ver um filme 5D!
- vi e provei pomelo na minha vida (fruta asiática, e o seu resultado é um sabor doce a limão)
- aprendi a cozinhar batata de uma forma muito saborosa :3
- vi dois adolescentes, um com máscara e outro com gorro na cabeça, dançarem no meio do autocarro como se ninguém estivesse a olhar para eles, com música em alto som -.-
- acordei todos os dias durante 5 meses com terríveis dores de costas e por vezes com vontade de matar as pessoas da parte de fora por fazerem tanto barulho que parece que querem partir tudo
- passei o inverno a dormir sem pijama porque o calor era insuportável
- comi bolachas de amendoim
- saí de casa 5 minutos antes das aulas começarem
- transportei os meus sacos de compras com a ajuda de um senhor limpador de neve
- fui entrevistada para um programa polaco e, para variar, gerou-se uma grande discussão à volta de uma opinião inocente. Para além disso, toda a gente pareceu me conhecer de algum lado -.-
- coloquei uma máquina fotográfica dentro de uma caixa de arroz na tentativa de a concertar
- dei festinhas a um esquilinho, que por sinal subiu-me pelas pernas a cima! *.*
- passei um inverno sem secar o meu cabelo, e a dormir sem uma pilha de cobertores e pijama polar
- vi um sensor (em vez de botão) para pedir passagem para peões na passadeira
- ouvi falar, aderi e experimentei o couchserfing
- comi sandes de manteiga de amendoim com pepinho
- vi um castor ao vivo na praia, e dos grandes
- vi um pequeno deserto


Perguntas que fiz na Polónia:
- é normal eu vir para a Polónia e ver um polaco com uma t-shirt de Portugal vestida mal chego?
- será que eles notam que eu sou diferente?
- em que geração eles estão que nem sequer wireless têm?
- sou eu que sou estranha ou são eles?
- será que eu sou a única que acho que polaco é uma mistura de alemão com chinês?
- é minha impressão ou ele está a olhar para os pelos que eu não posso tirar? A culpa não é minha, ok?
- será que o meu inglês é que é mau, ou todos eles têm o mesmo problema?
- porque é que existem paragens de autocarro e de elétrico, se eles param sempre depois (e muito despois) delas?


Cozinha polaca...
- provei molho de espinafres com queijo a acompanhar o esparguete
- os seus pierogis de queijo e batata ou com frutos (morango/mirtilho) são extremamente conhecidos
- pierogi de mirtilho com iogurte de frutos silvestres fica uma delicia *.*

Marcas que gostei na Polónia:
- Terra Nova
- Cropp Town
- Reserved
- C and C
- Tally Weijl
- New York



Alguns nomes polacos...
- Gosia (Gócha)
- Julia (Iulia)
- Filip (Filipe)
- Asia (Ácha)
- Tomasz (Tomák)
- Paula
- Aneta
- Iwona (Ivona)
- Noemi


Algumas palavras polacas...
- sim: tak (ták)
- não: nie (nhê)
- obrigado: dziękuję (djincuiam)
- muito obrigado:  dziękuję bardzo (djincuiam bárdzó)
- bom dia: dzień dobry (djim dóbre)
- ok: dobrze (dobja)
- bom: dobry (dobre); dobra [dobrze, dobry e dobra querem dizer a mesma coisa, basicamente]
- adeus: do widzenia (dovidzeinia)
- Deus: Bóg (bug)
- Jesus: Jezus (iezus)
- Senhor: Pan (Pán)
- olá: cześć (tchést) [informal, dito entre jovens e amigos, nunca para pessoas mais velhas]
- super  (superr~) [nem sei como traduzir isto, porque super é super xD Eles dizem isso quando vêm algo fantástico ou quando adoram algo que vêm :p]
- Portugal: Portugalia (portugália) 
- Polónia: Polska (pólseca)
- aqui: tutaj (tutai)

- ali: tam
- inglês: angielski (anguielski)
- polaco: polski
- português: portugalski
- japonês: japoński (iaponski)
- autocarro: autobus
- sério: serio (sérió) [sabem quando ficamos surpresos e perguntamos "sério?" ? Eles fazem o mesmo, mas com outra pronuncia! Ahahahahah]
- santo: święty (xviente)
- sem problema: no problem (nó próblém) [easier, hm? xD]
- não tenho: nie ma (nhê má)
- tenho: mam 
- apenas/único: tylko (telcó)
- um: jeden (ieden) ou raz (ráz)
- dois: dwa (dvá)
- três: trzy (tchê)
- quatro: cztery (tchetére)
- cinco: pięć (pientchi)
- seis: sześć (xést) [basicamente é o mesmo que o olá informal, mas sem o "tz"]
- sete: siedem (xiedém) [o mesmo que o um, mas com o "x"]
- oito: osiem (óxieme)
- muito: bardzo (bárdzó)
- de nada: proszę (proxé)
- não tem mal: nie szkodzi (nhiê xkodji)
- ela escreveu: napisała (napisaua)
- ele escreveu: napisał (napisau)
- com licença/desculpa: przepraszam (prexapraxam) [ahahah esta é bem dificil, garanto xD]
- autoestrada: autostrada (autosstrada)
- escola: szkoła (xcowa)
- mapa: mapa
- estou a ouvir [do tipo, alguém te chama e respondes "diz?"]: słucham [suham - tudo a ver nao é?]
- o quê/que [também se diz quando alguém te pede algo, tens dois e não sabes qual deles, então perguntas qual]: co (tzó)
- não entendo: nie rozumiem (nhê rozumiem)
- não falo polaco: nie mówię po polski (nhê muvien po polski)
- xau [informal]: pa pa (pápá!)
- mamã: mamusia (mamuxa)
- próximo: następny (nazténpne)
- eu: ja (ya)
- ovos: jaja (yaya)
- mas: ale (alé)
- casa-de-banho: 1)bathroom: łazienka (uajienka); 2)toilet: toaleta
- boa sorte: powodzenia (povodzênia) [é muito fácil, basta lembrar do adeus] 
- frio: zimno (jimno) [parecido com gymno xD]
- calor: gorąco (gôrontzo)
- hora: godzina (gôdjina)
- gosto: lubię (lubion)
- entendes?: rozumiesz? (rozumiés?)
- foca: foka
- castor: bóbr (bubr)
- glória: chwała (rfawa)
- tu [Deus, como thee em inglês]: ciebe (tchiébié])
- máquina fotográfica: aparat  
- situação: sytuacja (situatzia) 
- direita: prawo (právó)
- esquerda: lewo (lévó)
- cima: góra (gura)
- baixo:  dół (duu)
- em frente [dando direção de que se deve ir em frente]: prosto (próstó)
- bisonte: żubry (jubre)
- montanha: góra (gurá)
- vale: dolina
- grande: duży (duje)
- pequeno/pouco: mała (maua)
- contra [oposição em jogo de futebol]: kontra
- até logo: na razie (nárájie)
- xau: papa (pápá)
- e: i
- diferença: inny (inne)
- se: gdyby (gdebe)
- quando: kiedy (quiede)
- onde: gdzie (gdjié)
- como: jak (yak)
- normal: normalny (normálene)
- desconto/reduzido: ulgówa (uleguva)
- cuidado/atenção: uwaga (uvága)
- estudante: student (setudente)
- ele disse: powiedział (póviedjau) [eles falam tão rápido que fica praticamente póvidjau]
- ela disse: powiedziała (póviedjaua) [o mesmo como em cima]
- tulipa: tulipan
- máquina fotográfica: aparat (áparát)
- mar: morze (mójê)
- em: na (ná)
- pimento: papryka (páprika)
- cebola: cebula (tzébulá)
- querer: chcieć (rtchiéch)
- verdade: prawda (právda)
- realmente/mesmo/verdade: naprawdę (naprávda) [usa-se tipo a nossa expressão "mesmo!"]
- lento: wolny (vólne)
- paté: pasta (pássta)
- bem-vindo: zapraszamy (zapráxame)
- não sei: nie wiem (nié viéme)
- sei: wiem (viéme)
- corça/gamo: daniele
- outro lado: drugi strony (drugui strône)
- segundo: drugi (drugui)
- volto já: zaraz wracam (záráz vratzam)
- infelizmente: niestety (nieztéte)
- bonita: piękna (pienkna)
- bonito: piękny (pienkne)
- bonito/agradável/bem: ładnie (uadnhê)
- agora: teraz (téráz)
- presente [quando chamam o nosso nome na escola]: yes tam 
- estrada: droga
- rua: ulica (ulitza)
- amanhã: jutro (iutró)
- multicultural: multikulturalny (multiculturálne)
- doce/fofinho: słodki (suódki)
- pequenino: malutka
- casa: domu 
- talvez: może (moje, como mar)
- perto: blisko
- estar: jest tam
- condições meteorológicas: podoga
- clima: klimat
- perguntar: pytać (petátch)
- gelado: lody (lóde)
- você/senhor: ciebie (tchébie)
- para ti: dla ciebie (dlá tchébie)
- eu: ja (ya)
- tu: ty (te)
- nós: my (mê)
- é bem: to dobrze (to dobja)
- maçã: jabłko (iabcó)
- castor: bóbr (bubre)
- bisonte: żubr (jubre)
- joaninha: biedronka
- sapo: żabka (jabka)
- parque: park 
- agora: teraz (terázz)
- depois: potem (potéme)
- zoo: zoo (zóó)
- castelo: zamek 
- ou: albo (allbó)
- "old town": stary miasto (stáre miasto)
- boleia: autostop
- carne: mięso (mienso)
- framboesa: malina (málina)
- abacate: avocado
- água: woda (vóda)
- preço: cena (tcena)
- cerveja: piwo (pivo)
- morango: truskawka (truskavefá)
- verdade: prawda (právda)
- é verdade!: na prawda! (ná právda!)
- novo: nowy (nóve)
- velho: stary (stáre)
- cidade: miasto
- colega: koleżanka (kolajaneka)
- gosto: lubiem (lubiém - quando gosto e já conheço)
- gosto: spróbować (sprobówátchi - quando gosto e vejo algo pela 1ª vez)
- que horas são: która godzina (quetúra godjina)
- hora: godzina (godjina)
- meia hora: pół godzina (pu dojina)
- bom apetite: smacznego (smatchenego)
- ouro: złoty (zuote)
- cegonha: bocian (bótchan)
- comboio: pociąg (potchiong)
- caixa multibanco: bankomat
- câmbio: kantor
- como: jak (iak)
- onde: gdzie (gdjié)
- quando: kiedy (quiéde)
- que: które (queture) 
- igreja: kościelny (cóchtchielne) 
- mas: ale (alé)
- muito: bardzo (bárdzó)
- bom: fajne (faine) 
- sujo: brudny (brudne) 
- em frente: prosto (próssto)
- obrigada (em nome de todos nós): dziękuję me (djiencuia mé)
- mesa: stół (stuu) / stołowy (stóuóve) 
- adeus, até logo!: papa to na razie (pápá tó narájia)
- bem/sim [numa chamada: sim, sim... hm...]: no (nó) 
- alô:  tak słucham (tak suuham) / no halo (nó hállo)
- querer: chcieć (rtchiiche)
- galinha: kurczak (curtchác)
- peru: indyk (indek)

- **** (asneiras polacas xD): kurcze (kurtché), kurwa (kurva)
- girafa: żyrafa (jerafa)
- banana: banan







"Ja mówie po polski ale tylko mało. Bardzo, bardzo mało! Ale, ya móvie po angielski, portugalski i japonski"

"Ja lubiem polski góry!"
"Nie lubiem polski pogoda, ale portugalski pogoda est bardzo fajne."
"Teraz, ja lubiem polska, i ja ma bardzo polski koleżanka!"
"Jutro,  która godzina?"

"Jak brudny po angielski? Dirty!"

"Gdzie est stare miasto? Tam?  Prosto, prawo, lewo, prawo, tak? Dziękuję me!"


"Dla ciebie! Na prawdy? Tak! Dziękuję... Proszę bardzo!"


"Jeden bilet ulgowy studencki do zakopanego." 


"Tak słucham? Jest tam. No... no... no... ale tak... no, no. Papa to na razie."





 Pronúncia polaca...
- j lê-se "i" (por exemplo, Jezus é "iezus")
- w lê-se "v" (por exemplo, do widzenia é "dovidzeinia")
- l lê-se "l", e ł lê-se "u" (por exemplo, Galeria Bałtycka é "Gáléria Bautesca")
- y lê-se "e" (por exemplo, dobry é "dobre")
- c lê-se "tz" (por exemplo, maca é "matza") 
- ż lê-se "j" (por exemplo,  Żyrardów é "Jerarduv") [quando o "z" têm um traço no meio, lê-se como "ż", pode acontecer em alguns sítios usarem traço ao meio em vez de ponto em cima]
- ó lê-se "u" (por exemplo, Bóg lê-se "bug")
- ę lê-se "en" (por exemplo, pięć lê-se "pientchi")
- ą lê-se "on"
- ch só se lê o "h" (por exemplo, słucham é "suham", para nós de portugal, muitas vezes soa como "r": chwała é "rfawa")
- eles não usam "v" ou "x" no vocabulário deles

You Might Also Like

0 comments

Having a good time reading? Please leave us a comment below!

Responsive World Map

Footer Menu




Instagram

Footer social

TERMS AND CONDITIONS
|
PRIVACY POLICY