ACRE 2012 - o deprimente

E enfim, assim foi o meu primeiro ACRE depois daqueles aninhos sem rumo, e declaro que, no fundo no fundo, gostei muito :D Digamos assim,...


E enfim, assim foi o meu primeiro ACRE depois daqueles aninhos sem rumo, e declaro que, no fundo no fundo, gostei muito :D
Digamos assim, na 5a feira depois de tanto stress lá parti da casa do caixeiro (onde tive a aturar - que para mim nem é bem aturar, é babar literalmente - os miúdos fofos dos Caixeiros e a escrever a postagem da APCV na tablet do Caixerinho) até ao Tribunal, de onde saímos bastante tempo depois.
A viagem lá se foi fazendo apanhando obras nas pontes, para variar (aquilo ate ja mete raiva @,@) e enfim chegamos ao tão ansioso sítio do ACRE inédito, Costa de Lavos *-* Vou-me assustar com o descampado sem qualquer tipo de árvore, passar a vida inteira a transportar material do núcleo para o local da nossa cozinha, percebendo que afinal a nossa estadia é bem mais longe, perto de Aveiro (para variar, pelos vistos), e ter de levar para lá tudo de novo.
Assim foi que a nossa tenda se foi montando, levou muito tempo porque imbirraram que aquelas espias não serviam, quiseram me dizer para fazer assim, assim, e assado, e a certa altura a Daniela já contava até 10 enquanto procurava paus para espetar na areia e pedia emprestado material para depois reclamarem com ela -.-'
Enfim montámos a parte de cima do avesso, voltámos a tirá-la, e então acabámos de preparar tudo. Nisto, começou a querer chover, abrigámos as nossas coisas na entrada na tenda e esperávamos que o resto do pessoal chegasse, enquanto passeávamos pelo parque, montávamos a cozinha e a Daniela desesperava por determinadas indecisões e receios.
Assim que o Marco e o Milo chegaram, montámos a tenda da Lídia (eu e a Lia mais uma vez xD) para colocar as nossas coisas e arranjámo-nos. Eu lá tive a oportunidade de tentar dialogar algo de jeito com o indivíduo, e logo de seguida fomos até à reunião de abertura. De certa forma estava a ser engraçado, e nós já tinhamos preparado uma pista nocturna e tudo.


A Lia conseguiu-se escapar de forma breve às actividades dos tições e foi com os companheiros na primeira noite, com um peso enorme na consciência, à procura de balizas em conjunto connosco. Lá encontramos a primeira, debaixo da ponte, a segunda, nas ruínas tão bem por nós conhecidas, e a terceira, na área do canabial ou lá como se chama, ninguém encontrava, e eramos nós todos à chuva (a Daniela e o seu impremiável super hyper azul clarinho *-*) a picotarmos nas balizas e a andarmos de um lado para o outro com lanternas à procura da terceira baliza juntamente com os outros grupos de companheiros que também desesperavam por encontrá-la.
Chegámos à tenda tardíssimo, após a direcção nos mandar para dentro do acampamento uma vez que não tivéramos sucesso (óbvio, o ponto estava numa área enorme sem qualquer tipo de referência- .-'), o despertador foi colocado com muito pesar para as 4h45, e o adormecer foi lá para as 2h da manhã -.-' Dormi vestida, preparei tudinho na noite anterior e, no dia seguinte, foi só levantar e dirigir-me para o ponto de encontro, onde não estava ninguem -.-'



Sei que apenas partimos às 6h da manhã devido ao pessoal de Pompal (Rita e Emanuel) que ficaram a dormir :O Continuava a chover, e de manhã apanhamos um tempo jeitoso para continuarmos a dar uso dos nossos impremiáveis enquanto caminhávamos. Às 7h da manhã tinhamos de estar no ponto de encontro o qual não estavamos obviamente, sem termos passado por quase base nenhuma, e o resto do dia foi feito com uma caminhada constante, como se às 12h já fossem 16h de tanto cansasso, aproveitando quando o sol começou a surgir e provenindo-me de máquina fotográfica para captar os belos momentos utilizados para o concurso de fotografia bestial *---*
Nesta pista fizemos algo bestial como uma arca com dois anjos com sorrisos e olhos, atravessar o lodo (Daniel ficou subterrado até à cintura), para seguir num bote até ao outro lado do rio, sem qualquer tipo de água para nos limparmos - e sim, visitámos um local da Figueira super bonito que ainda não conhecíamos :O E também é verdade que ainda tivémos a oportunidade de vermos uma casinha super joli com tudo quanto era animais, super fofi mesmo :)



Mal chegámos à praia duas horas antes da hora esperada (15h), um pouco indignados com determinadas surpresas, fomos até ao acampamento para tomarmos banho. Às 17h já estavamos no ponto de encontro, refeitório, com os nossos instrumentos de sopro (os quais já tinham dado motivos de disputa sonoros entre elementos de núcleos diferentes e também dentro dos próprios nucleos xD) para ouvirmos uma breve meditação, rodearmos as caixas que serviam de muros e, a determinada altura, tocarmos até ao muro cair. O mais engraçado de tudo foi, sem dúvida, a altura em que os muros cairam, o Pastor Rui Bastos disse "ao ataque!" e toda a gente fica estagnada a observar o Coelho a correr em frente e a saltar para cima das caixas enquanto percebe que era o único que o estava a fazer (e a pensar: "sou o único, mas já não dá para parar! que vergonha!" uahauhauah), saiu mais rápido para o lugar dele do que aquilo que correu em frente às caixas xD Eu ainda quero este video, sem sombra de dúvidas :o



Finalmente eu iria jantar algo de jeito, uma vez que até à altura o meu comer tinha sido croissants e uma lata de atum, o meu pão estava todo partido e estragado, e o meu stock de comida estava a diminuir drasticamente xD era strogonof e, enquanto eu achei uma maravilha de jantar, a maior parte disse que estava horrivel, e eu inclusive comi a minha parte e ainda a do Ri Uhauahuah
Enfim, lá se passou mais um dia, em que a noite foi um pouco mais sossegada, na paz, já todos cheirosinhos depois do dito banho na água cheirosíssima da Costa de Lavos -.-

A noite foi boa, mas cedo já estavamos na formatura, em que muita gente foi tirada fora por não cumprir os requisitos básicos do fardamento. Assim que terminámos, fomos até ao anfitiatro (que eu agora achava pequeníssimo, talvez devido a ser muito pequena quando lá punha os pés xD) onde passámos a manhã de Sábado :)
Durante a manhã voluntariei-me para o porta-a-porta (A-D-O-R-O! *-*), fomos até à tenda de oração, combinamos as coisas, fizémos a lição da escola sabatina e voltámos para assistir ao culto, eu saí para ir ver a Mommy e o Aníbal, que vieram para me ver, e a mãe parecia completamente out enquanto cumprimentava toda a gente que via xD
Enfim fomos almoçar juntos, eu fiz um flash back de tudo o ocorrido até à altura, mal eu sabia que não ia estar muito tempo com eles :| Comi bem, levei uma garrafinha de água de 1,5L que me iria fazer imenso jeito perante a "seca" do último dia e, para além de conduzir à ida para lá, acartei ainda os doces que a mãe me enviou.




Voltando para cá (3 pessoas no comercial roverzinho), foi muito rápido que o tempo passou enquanto nos tinhamos instalado à conversa com o pessoal de Aveiro, já eu tinha perdido a reunião de encontro após almoço na tenda de oração :O
Rapidamente juntámo-nos eu, o Enoque, o Gerson e a Inês para irmos com o Jó até ao ponto de encontro. Levámos muito tempo, na viagem a mãe passou por nós de carro e eu mal percebi (só mesmo eu -.-), eles acompanharam-nos pelo caminho e então fizemos o porta a porta.
Para variar foi muito pouco tempo, e eu (fiz de responsável, yei! *-*),a Inês Coimbra e o Aginaldo (dificil de decorar o nome :O) de Vila Nova de Monsarros, partimos para uma rua que afinal nem era a que tinha ficado para nós, onde nos cruzamos logo de início com um homem bêbado que foi idiota connosco e ainda quis nos despachar de batermos às portas asseguir à dele -.-' Mas logo logo teríamos um optimo trabalho junto de uma senhora que vive sozinha e passa dificuldades, a qual receberá os jovens da Figueira para a ajudarem a ler a Bíblia, bem como batemos à porta de um senhor sedento por descobrir mais, que tinha a mulher doente em casa, que precisava de força e de conhecer melhor a Bíblia, que teve connosco uma conversa optima sobre religião, disse que era muito interessado e disse-nos que um dia gostaria talvez de visitar a nossa igreja para exclarecer certas duvidas dele *-* Foi uma benção incrivel batermos à porta deste senhor tão disposto a receber-nos numa rua que nem devería ser a que iriamos fazer! AMEN! Tinha acabado o tempo mas senti que deveríamos ir ainda até à casa a seguir, onde falámos com uma senhora que também se mostrou interessada em conhecer melhor a Bíblia. Entregámos dois folhetos de estudos bíblicos e uma Bíblia para Mim, mas achei fantástico o nosso trabalho.
Na volta fui com o Pastor Vitor Pancha, lembrei-me de puxar a conversa para ver se ele se lembrava de mim, ele que sempre se preocupava se eu estava bem ou não, por quem sempre tive um apreço especial ao longo dos meus anos de acampamento. É claro que, uma pessoa como eu que passa despercebida pela altura, pela expressão facial tão normal e habitual entre as pessoas, e que com o tempo foi crescendo, não deixava-lhe a certeza de quem eu era.
Enfim tive pouquíssimo tempo com a mãe e com o resto do pessoal que se encontrava lá no centro, mal cheguei já estavam a acabar a reunião na rua. Voltámos, lembro-me que jantámos uma massa com poucas salsichas e um queijo muito finjido (obviamente que, tal como ontem, achei que o comer estava pior do que o strogonof, sempre do contra com as pessoas xD).
De noite, após o concurso bíblico, tivémos a nossa ultima pista nocturna, aproveitando que agora o tempo tinha estado muito bonito, com sol e boas condições, e eu fiquei desiludida pela ausência do meu habitual jogo de aproximação. Apesar desse facto, ainda aproveitei a pista que foi feita com sinais de pista, mas passamos a vida a rastejar, passar por paus e silvas, mais parecia estarmos numa missão de 007. Mas afinal de contas foi muito, muito engraçado :)



Enfim eu não estava muito bem neste dia. Basicamente a minha cabeça estava uma confusão e eu já não sabia o que pensar. O que parecia para mim era algo que eu nunca pensara, eu já estava a desconfiar de alguém que eu sempre confiei, e não estava nada bem. Quis ficar sozinha, agora que a minha cabeça já não estava ocupada com as actividades e voltava a ruminar no que não devia, vagueei pelo acampamento enquanto via coisas que talvez não devia, encostava-me a enfardar-me com o doce de Lamego e suplicava a Deus durante um longo tempo que ele me ajudasse a suportar a dificuldade daquele momento.
Enfim eu já me juntava à Lia que tem passado por tantas dificuldades apenas a olhar para os outros, a tentar lidar com momentos e atitudes muito dificeis, e desejando nunca mais se meter numa confusão igual.
Assim deitei-me depois de uma conferência geral na minha tenda (que envolvia doces, já que o folar tinha sido no dia anterior com a Andreia xD).

No dia seguinte, dia abrasador com um sol brilhante, foram os jogos de praia. Fizémos um circuito fantástico para a bola redonda amarelinha passar (e foi o melhor, sem dúvida *-*), enquanto que eu e o Daniel tentávamos levar o Manu no carrinho enquanto ele dizia "para ali, nao ves? para lá!", e nós sem ver nada -.-' Enfim o Daniel ainda bateu contra mim e eu cai para o lado, foi um momento deveras engraçado xD



Para terminar o bom dia na praia (e os Desbravadores a jogarem voleibol de praia, que inveja! T_T) ainda jogámos ao mata com duas bolas e entre 6 equipas, numa roda dividida em 6 porções. O jogo até foi muito divertido, até que determinado individuo de Vila Nova de Monsarros decidiu armar confusão e virar as restantes 5 equipas que competiam entre si todas contra ele. O fair-play entre Viseu e Coimbra era fantástico, e até foi engraçadito.



Voltámos, eu e a Lia após almoçarmos (eu hoje preferi a massa de ontem, que já tinha queijo em condições xD) fomos jogar voleibol de praia com uns pequenitos (ui :x) e, logo depois de irmos arrumar tudinho, chegou a hora de nos deslocarmos até ao pavilhão para a reunião final de encerramento.
Eu não andava nada bem nestes ultimos dias do acampamento, e isso era bem visível para toda a gente. Depois de muito orar, decidi tomar uma decisão, e quase que a comuniquei com os olhos quando pedi uma conversa no final da reunião.
Já tinham mostrado um vídeo com fotos e estavam a falar quando o Gi me informou de que fosse até ao campo. Após ir à casa de banho (efeito genérico de quem se mata a beber imensa água depois de uma "seca" na garganta -.-') lá tentei resolver a situação. O segredo está mesmo em deixar que Deus comande a nossa vida. Tudo correu de forma calma, e eu finalmente percebi que talvez não houve só uma tarefa de uma das partes, talvez houvesse das duas.



Percebi que tudo aquilo que se estava a engenhar na minha cabeça nos últimos dias não passava de uma confusão de gente que sofre de certa forma pela não compreensão do que a rodeia. Então eu finalmente entendi que tinha sido escolhida para uma grande tarefa, e que era meu dever compreendê-la e aceitá-la.
Tudo se resolveu, voltei para dentro e fiquei muito contente porque percebi que passamos os dois a fazer determinados esforços, e isso motivou-me para enfrentar as adversidades que existem no momento e as possiveis adversidades futuras.
Durante a reunião de encerramento recebemos então mais um emblema todo joli para colocar na faixa, e recebemos prémios dentro do núcleo: 3º lugar geral, 1º lugar de tições, prémio de "clube cool" para os Desbravadores e de "Jogos de praia" (como é que é possivel depois do meu fracasso com o daniel O.o - tudo graças ao circuito, aposto xD) para os companheiros, bem como os primeiros lugares do concurso bíblico, que foi super engraçado, uma vez que foi todo para a família Figueiredo: Tições - Alex, desbravadores - Gui, séniores e companheiros - Beto.



Foi muito engraçado definitivamente, e rápidamente já estavamos a ir embora de volta às nossas cidades. Agora eu estava bem, estava sorridente e com boa cara, já não stressava com facilidade e já via de outro lado alguém que tentava mostrar que ainda era o mesmo, e que eu ainda me mantinha no mesmo lugar na sua vida.

Estou contente neste preciso momento porque sei que tenho algo para fazer, que é um desafio à minha própria capacidade, mas que é uma benção dada por Deus. Apesar de tudo, apesar de todas as minahs confusões e de me ter juntado à Lia no clube de deprimidas no ACRE 2012 , tanto uma como a outra vamos esquecer isso por momentos porque tanto o meu problema como o dela têm resoluções, e quem sabe até sejam relativamente breves.
Tive a oportunidade de voltar a relembrar os optimos momentos de acampamentos, de voltar a acampar, de estar com os amigos de outros locais e fazer novos amigos, de ouvir mais da Palavra de Deus e de estar mais com Ele, de aproveitar o bem que me faz aquela água mal cheirosa da Costa de Lavos!


Agora falta ainda arranjar as fotos e enviar para o concurso de fotografia, tratar de montes de coisas ainda da Unviersidade, fotos do Tumblr e postagens do blogue, dia da defesa nacional e especialidades... Cá vamos nós de novo! xD

You Might Also Like

0 comments

Having a good time reading? Please leave us a comment below!

Responsive World Map

Footer Menu




Instagram

Footer social

TERMS AND CONDITIONS
|
PRIVACY POLICY