Passagem de ano em Salamanca

Oras, digamos que foi uma passagem de ano bastante bonita :) Diria bonita porque passamos com os amigos, vamos colocar lá de parte o facto d...

Oras, digamos que foi uma passagem de ano bastante bonita :) Diria bonita porque passamos com os amigos, vamos colocar lá de parte o facto de não ter havido fogo de artifício absolutamente nenhum.


Sei que fui com a Mommy para ir vendo o caminho (cheio de gelo! :O) e fui aos saldos para comprar a prenda de Natal do pai, que me estava a fazer uma grande falta. Enfim já o Caixeiro me estava a ligar, e pouco depois estava eu em casa da Lia para o Daniel nos apanhar e nos levar. Lá foi uma viagem bastante divertida a cantar, chegámos e toda a gente já só queria dormir. Esperamos um pouquinho e, esfomeados, atacamos a comida ^^
Treinámos as nossas musicas (muuuito) improvisadas, enquanto que a Anita desesperava ao ver o culto do Daniel, e eu ficava sem perceber se realmente devia tirar tanta "matéria" da Escola Sabatina.
Ainda tivemos tempo para dar uma voltita pela cidade, e consequentemente desbravarmos os parques que por lá haviam, especialmente na parte dos baloiços (e daquela coisa em que se sentam duas pessoas no estremo, com a Daniela Figueiredo xD).
Lembro-me que ainda houve oportunidade para conversar com o Bruno Coelho sobre assuntos que toda a gente parece querer evitar ou esconder debaixo da areia. Sei que ele é alguém sincero, com quem deu para conversar até nos irmos embora ^^
Lá dormimos, e no dia seguinte ninguém tinha vontade de levantar, uahuahauah O que é certo é que nos levantámos cedo demais, na minha opinião. Mas enfim, comemos, e assim que os irmãozinhos começaram a chegar, lá nos fomos instalando lá dentro.
Só sei que a estive a encurtar tanto a Escola Sabatina para nada, encurtei demais e estivemos o resto do tempo todo a cantar à espera do culto -.- Mas enfim, lá foi, e após o culto feito pelo Daniel e traduzido pela Anita, chegou a hora do almoço.
O almoço foi-nos oferecido pelos irmãos, que nos pediram para nos sentarmos e ainda nos serviram O.o Eu até me estava a sentir mal com esta situação toda, mas enfim acabámos por nos sentir tão bem tratados, que nos habituámos. Eles foram gente super simpática, e eu comi super bem em Espanha (como eh que eh possivel! :O), especialmente aquela massa, estava divinal! O resto do pessoal ficou encantado com uma das sobremesas, a dos amendoins. Eu achava piada o pessoal que dizia "Ai estão tou tão cheio!", e não parava de meter comida para dentro xD, como aconteceu com o Bruno Coelho, o Milton e a Daniela Figueiredo.
Enfim terminamos de comer (ainda nos deu para o jantar!), andámos a tirar uma série de fotos, a confraternizar com os irmãos, a ver incidentes como o escuamento de água que saía da casa-de-banho e outras coisas que tais.
Mas o mais engraçado, sem dúvida, era ver o irmãozinho que falava imeeeeeeeenso ( e que eu não percebia quase nada O.o), que andava sempre à procura de alguém para [tentar] dialogar com ele.



De tarde fomos dar uma volta pela cidade que nos deixou super cansados, primeiro com o guia cómico do "bale, bale", e no final com o pastor ^^ Sei que foi bastante gratificante a volta, e vimos montes e montes de edifícios interessantes, e lojas de doces xD A meio fiquei sem a minha maquina fotográfica, comecei a passar-me e quando dei conta já tinha a minha máquina a voar de um lado para o outro e a ser finalmente pontapeada pelos pés do Julian :o Enfim lá continuei sem máquina fotográfica, confiando apenas de que iria continuar com as fotos que o resto do pessoal tiraria.
Só sei que a certa altura eu até já nem via nada, de tão chateada que estava T_T Já estava cheiinha de dores nas pernas, e já estava frio, e enfim, eu queria voltar e o caminho ainda era looooongo demais :x Mas pronto, tudo se fez ^^
De tudo, o que mais achei piada foi o poço onde estavam presos os cadeados com os nomes dos apaixonantes, que prendiam o seu cadeado aos outros, e largavam a chave no poço. Que rosmélico *-*
Jantámos os restinhos extremamente cansados, e fomos até a parte interior (eu por mim já nem saía, ficava ali a descansar até o dia seguinte *-*), eu quase a dormir e o caixeiro lá nos chamou para sairmos T_T
Pelo caminho começamos a cantar o "ai se eu te pego", e rapidamente, pelo numero de pessoas que começaram a cantar connosco, percebemos rapidamente que não éramos os únicos portugueses ali ^^

Na hora da passagem, poderia ouvir-se por diversas vezes contagens decrescentes por todo o lado, ora em espanhol, ora em português, ora em portunhol mesmo (e nós lá ficávamos à espera que alguma daquelas fosse a verdadeira, aguardando o fogo de artifício, que apenas percebemos que era inexistente quando olhámos de novo para o relógio e percebemos que já eram 00H05), e nós lá íamos cantando a bomba a cada estoiro que era dado, fazendo o comboio para nada e cantando as nossas musiquinhas. Digamos que por momentos criei na cabecinha a ideologia de que, como havia uma completa ausência de fogo de artifício, poderia ser o efeito da crise e, consequentemente, verificar que os portugueses (essencialmente), se divertiam e consolavam com as bombinhas e aqueles festins todos que lá é permitido lançar.



Saímos e ainda tivemos oportunidade de nos animarmos e voarmos nos baloiços, até os meus bicipedes braquiais não aguentarem mais e eu ter de sair :o Assim chegou a 01h00 em Espanha, 00h00 em portugal, e lá fizemos a nossa festa de Ano Novo xD



Sei que no dia seguinte foi duro acordar pelas 10 horas -.- E enfim, lá fomos e comemos pelos caminho, para ver se eu despachava tanta comida que estava na minha posse :O O mais genial de tudo, foi quando vínhamos no carro e na rádio decide dar ópera, que acabou por dar ideiais ao pessoal que ir dançar para o meio da rotunda O.o


Adorei a passagem muito sinceramente, coloquemos de lado o facto de não ter havido algo chamado "fogo de artifício", tive a oportunidade de me babar com os filhos do Caixeirinho e da Fi, com o Tutu que pareceu peculiarmente interessado em colar-se em mim, e no Tim que aparecia a acaraciar o sapinho. Ohhhhhhhhh que fofuras *-* Um dia quero ter uns assim :$

Cheguei a uma conclusão maravilhosa: a de que, na espanha, as pessoas dão muito mais valor aos seus animais. Primeiro que tudo, vê-se por todo o lado gente a passear os seus animaizinhos de estimação. Na generalidade, são bichos de grande porte, raças conhecidas, muito bem tratados e fofinhos. Se não o são, são "porta-chaves" todos bem vestidos.
E brindemos porque pela primeira vez eu comi bem na Espanha (e que bem que foi!)! +.+




(Em breve no Tumblr, as verdadeiras fotos das paisagens)

You Might Also Like

0 comments

Having a good time reading? Please leave us a comment below!

Responsive World Map

Footer Menu




Instagram

Footer social

TERMS AND CONDITIONS
|
PRIVACY POLICY